domingo, 27 de janeiro de 2013

27 DE JANEIRO: DiA INTERNACIONAL EM MEMÓRIA DAS VÍTIMAS DO HOLOCAUTO


Instituído em 2005 pela Assembleia-Geral da ONU, o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto  incentiva a sociedade civil a promover a memória do Holocausto para que as gerações futuras não repitam os erros do passado. A data escolhida relembra o dia de libertação dos campos de concentração de Auschwitz-Birkenau. No dia 27 de janeiro de 1945, o Exército Vermelho libertou o complexo de extermínio de Auschwitz-Birkenau, na Polónia, onde milhões de judeus de toda a Europa foram mortos desde 1940, de forma sistemática, em câmaras de gás, sendo os cadáveres incinerados em fornos crematórios.
Em 1944, com o avanço das tropas soviéticas e numa tentativa de esconder o genocídio, os militares alemães evacuaram os campos, destruíram as câmaras de gás e os crematórios e obrigaram os prisioneiros a uma marcha forçada (“Marcha da Morte”) em direção a Bergen-Belsen, na Alemanha.
Quando as forças de Moscovo atingiram o complexo de Auschwitz-Birkenau, libertaram oito mil pessoas, na maior parte judeus, mas também ciganos, intelectuais polacos, homossexuais e prisioneiros políticos de toda a Europa.
Mensagem do Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, para o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto – 2013

Neste dia, nós portugueses devemos também recordar a memória dos “heróis do Holocausto”, nomeadamente dos três diplomatas portugueses que contra as ordens do regime de Oliveira Salazar salvaram milhares de vidas durante a II Guerra Mundial: Aristides de Sousa Mendes, Carlos Sampaio Garrido e Alberto Teixeira Branquinho.

ARISTIDES DE SOUSA MENDES